sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Há dias e dias...

Olha-me nos olhos e diz-me o que vês. 
Eu não sei o que vejo quando me olho no espelho, porque há dias em que não me reconheço e em que acho que não sou bem eu...
Estar triste é assim. É estar e não estar bem  em mim. Não saber o que pensar e não querer sequer pensar. Querer estar apenas a descansar a cabeça de pensamentos que sobrecarregam e magoam. 
Há dias assim.


Love, S.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Tanta coisa para fazer...

Mas só me apetece dormir!
Esta semana ainda só vai a meio e eu já tive de correr de um lado para o outro, fazer uma apresentação, fichas, relatórios etc e etc e etc.
Sinto-me tão cansada... E já só peço que o fim de semana chegue para dormir o que bem preciso.

Espero que tenham uma semana boa!

Love, S. 

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Palavras soltas

Untitled | Flickr - Photo Sharing!

O tempo passa, e nós andamos ao lado dele.
O presente torna-se passado, e o futuro o presente.
Quando damos por nós os dias estão a passar rapidamente.
Mesmo quando nos custam mais,
Voaram como o vento entre os nossos cabelos.

Tentamos aproveitar ao máximo,
Ou se calhar achamos que sim.
Mas talvez não olhemos os dias como devíamos,
Porque é difícil fazê-lo assim,
Agradecendo cada pormenor
Daquilo que nos faz sentir vivos.

Mas há dias cinzentos...
Há dias mais ou menos...
Porque também não podíamos ter sempre
Tudo aquilo que temos.

Vamos vivendo,
Sorrindo e querendo o que os dias nos dão.
Talvez uns dias sim, 
Talvez uns não.


Nem sei bem o que estou a escrever, mas aproveitei uma inspiração momentânea e deixo aqui as minhas estranhas palavras para vocês (:

Love, S.


sábado, 10 de outubro de 2015

Lazy days

Pinterest
Este tempo cinzento pesa. Por vezes adoro-o e o facto de me fazer passar o fim-de-semana em casa no abrigo do cobertor. Mas por vezes a chuva e este ambiente causam-me dores de cabeça... E depois não há vontade de nada. Nem de ler, nem ouvir música, nem desenhar, nem ver televisão. 
Vontade de nada a não ser permanecer no quentinho do cobertor e abraçada ao meu amor. Ver as gotas na janela, ouvir o vento a abanar os ramos das árvores, e permanecer imune a tudo isso enquanto sinto o meu coração preenchido com simples carinhos.
Mas depois quando ele tem de ir embora fica o espaço a meu lado vazio, e eu olhando-o como se por magia ele voltasse a aparecer lá. Mas mesmo longe estamos perto, porque o amor que nos une e aproxima faz a distância parecer mais curta.

Love, S.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Mais de 1000 razões para ser feliz #09

Untitled
Saber que vou ter muito trabalho pela frente e que já o vejo a aproximar-se em forma de trabalhos, relatórios, frequências e afins, mas que me esforcei para estar onde estou e que vou continuar a esforçar-me. Porque apesar de por vezes nos sentirmos sobrecarregados temos de parar um bocado e perceber que se merecemos o nosso lugar então devemos estar satisfeitos (apesar de cansados) .
Por isso, uma razão que para mim é válida para ser feliz é ter chegado onde estou.

Love, S.

domingo, 4 de outubro de 2015

Pequenos textos #05

fashion is art | via Tumblr
A água já estava a borbulhar e a chaleira já começara o chinfrim habitual, que apesar de para a maioria ser irritante para ela era um som familiar, por isso desligou o lume e deitou a água na caneca  velha e já com a asa colada. Ella sabia que era demasiado agarrada às memórias e aos objectos que de alguma forma faziam parte das mesmas. Tanto a chaleira como a caneca lhe tinham sido deixados pela avó, e faziam-na relembrar sempre o ritual do chá que elas tinham quando ela era uma menina. Era algo especial beber dali, era como uma viagem à sua infância quando fechava os olhos para saborear qualquer que fosse a infusão que tinha escolhido para essa vez.
Coisa estranha, pensava, esta a das memórias ligadas a algo que para a maioria é tão banal.
Mas para si nunca seria algo banal, era algo mágico que lhe fazia lembrar a avó que era tão importante para ela e partira cedo demais da sua vida. Qualquer altura seria demasiado cedo... Porque alguém tão bondoso devia ser eterno.
Fechou novamente os olhos e bebeu o resto do chá acabando por esboçar um sorriso, porque a saudade nunca iria acabar, mas aquele ritual também nunca ia deixar de lhe saber a felicidade e de lhe aquecer o coração.

Love, S.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Sê bem-vindo Outubro

Outubro chegou e com ele talvez chegue o tempo típico do outono. A temperatura a descer e uma brisa que dança entre os nossos cabelos e os despenteia. Em breve vai chegar o tempo dos casacos ainda não muito quentes e daquelas botas que queremos usar.
Mas Outubro traz algo de muito mais belo. Aqueles tons dourados, castanhos e amarelos das folhas que se preparam para deixar a árvore que foi o seu abrigo ao longo de um ano. Deixando-a entregue a si própria. É um fenómeno que é para mim fascinante e me relembra a nossa própria renovação ao longo dos anos.

Sê bem-vindo Outubro*

Love, S.