domingo, 4 de outubro de 2015

Pequenos textos #05

fashion is art | via Tumblr
A água já estava a borbulhar e a chaleira já começara o chinfrim habitual, que apesar de para a maioria ser irritante para ela era um som familiar, por isso desligou o lume e deitou a água na caneca  velha e já com a asa colada. Ella sabia que era demasiado agarrada às memórias e aos objectos que de alguma forma faziam parte das mesmas. Tanto a chaleira como a caneca lhe tinham sido deixados pela avó, e faziam-na relembrar sempre o ritual do chá que elas tinham quando ela era uma menina. Era algo especial beber dali, era como uma viagem à sua infância quando fechava os olhos para saborear qualquer que fosse a infusão que tinha escolhido para essa vez.
Coisa estranha, pensava, esta a das memórias ligadas a algo que para a maioria é tão banal.
Mas para si nunca seria algo banal, era algo mágico que lhe fazia lembrar a avó que era tão importante para ela e partira cedo demais da sua vida. Qualquer altura seria demasiado cedo... Porque alguém tão bondoso devia ser eterno.
Fechou novamente os olhos e bebeu o resto do chá acabando por esboçar um sorriso, porque a saudade nunca iria acabar, mas aquele ritual também nunca ia deixar de lhe saber a felicidade e de lhe aquecer o coração.

Love, S.

5 comentários:

  1. Aww, que fofinho ^^ Isto fez-me lembrar quando, há uns meses atrás, resolvi comer Nestum quando já não comia há anos...e só aquele cheirinho transportou-me de volta à infância ^^

    ResponderEliminar
  2. Este teu texto quase me fez ir as lagrimas, trouxe-me tantas memórias, tantas boas memorias.
    Beijo.
    Maria Crescida
    Maria Sem Limites

    ResponderEliminar

"Sei que só há uma liberdade: a do pensamento."
-Antoine de Saint-Exupéry